Mahou Shoujo é realmente um gênero feminista?


Inhaiii gente! <3
Eu ando meio enrolada com questões pessoais e provavelmente só vou desenrolar depois da semana que vem. Mas quero agradecer por todo o apoio e carinho que vocês tem dado na ask, no facebook e aqui no blog! Essa semana eu resolvi falar um pouquinho de um gênero que eu amo e que a maioria das leitoras aqui do blog também adora.
Sempre que se fala em feminismo e anime, mahou shoujos são apontados como um gênero positivo. Mas ele é mesmo empoderador e perfeito como nós costumamos achar? Vemos ver.


 Grande quantidade de personagens femininas



Mahou shoujo, em tradução livre é algo como "garota mágica", então obviamente, algo recorrente é que as personagens principais, ou grande parte dos personagens do anime sejam femininos. Isso é algo positivo por que sabemos que na cultura pop geral, não temos personagens principais ou histórias focadas em mulheres.

 Feminilidade é celebrada e incentivada



Diferente do que vemos em obras como a Princesa e o Cavaleiro, que a personagem principal demonstra características geralmente atribuídas aos homens para ser vista como heroica, em mahou shoujo as características femininas são amplamente aceitas e celebradas. É comum que esses animes tenham designs extremamente femininos e fofos e isso não impede que as garotas continuem sendo incríveis e fortes.

 Características vistas como femininas (empatia etc) não são vistas como fraqueza


É comum em mahou shoujo que os problemas sejam resolvidos de outras formas além da violência. Assim como características e sentimentos vistos como femininos sejam naturalizados e frequentemente utilizados como resolução para os problemas e conflitos em geral. Isso acaba sendo importante por que demonstra que esses sentimentos não são uma fraqueza e sim como algo positivo e válido.

 Explora conflitos internos


Outra coisa positiva sobre esse gênero é que esses animes geralmente exploram conflitos e dúvidas dessas personagens, como o primeiro relacionamento e amizades. Nós vemos que essas situações tem mais profundidade do que outros gêneros geralmente exploram e que algumas vezes na vida as coisas não tem solução clara ou simples.

 Pouca representatividade


Como era de se esperar por que estamos falando de uma produção japonesa, mahou shoujo não tem grande representatividade nos seus personagens, onde a maioria deles é japonesa (ou deduzimos que seja). E pensando tranquilamente, só consigo lembrar da Sailor Pluto que tem uma pele mais escura. EXCETO que ela recebeu uma cor mais clara na versão do anime. E não é só isso, gênero e sexualidade também quase não variam.

 Relacionamentos amorosos confusos

  

- Usagi, mas COMO ASSIM¿¿¿???
Aqui nesse caso vou citar Sailor Moon, o relacionamento principal da Usagi e do Mamoru é meio clueless e ele é um babaca quase que 100% do tempo, mas tem passe livre pra isso por que é BONITO

...................................

O anime coloca a Usagi nesse relacionamento por que eles são *~destinados~* a estarem juntos. Por que em outra vida, numa vida esquecida, eles eram um casal. Acaba impulsionando a ideia de romantizar atitudes idiotas e escrotas.


Óbvio que depois de um tempo, ele se torna um bom namorado. Mas esse tipo de atitude nos parceiros das meninas são recorrentes. Quase todo anime com um par romântico tem um desses. Então assim né. ¯\_(ツ)_/¯
Além disso, não parece meio bizarro que a Usagi tenha conhecido o ~*amor da vida dela*~ aos 14 anos? Não reflete em nada a realidade de garotas, que tem vários relacionamentos e conhecem várias pessoas antes de finalmente... bem, cês sabem.

 Sexualização de garotinhas


Esse ponto é repetido por algumas feministas japonesas várias vezes. Na verdade, eu acredito que é um dos grandes pontos sobre o motivo pela qual elas não acham que mahou shoujo seja assim tão feminista.
Recentemente, o estilo mahou shoujo tem descoberto que é possível engajar uma grande quantidade de fãs usando uma fórmula muito similar e simples.

 Meninas;
 Design extremamente fofo;
 História muito pesada e cheia de twists.

Um exemplo excelente disso é Madoka. Aparentemente o problema em si não está especificamente no anime, mas em algumas official arts e produtos do anime, que trazem imagem das meninas de roupas de banho e etc (vocês se lembram de um episódio de praia no anime? nem eu.) e de uma forma geral, o fandom, que insiste em sexualizar as meninas em fanarts e etc

 Modelo de personalidade repetitiva ou genérica (inofensiva)

   

No geralzão, o mahou shoujo nos apresenta pouca variação de personalidades, nas quais as meninas mais novas, que assistem tentam se espelhar. Esse é outro ponto que é salientado pelas feministas japonesas, até onde minhas pesquisas conseguiram chegar.
Nesse gênero é comum que as heroínas sejam meninas passivas, delicadas e inofensivas. Esse combo de características é ironicamente muito bem aceito entre os fãs masculinos. ""ser sempre legal e gentil"" etc, o que faz elas parecerem aos fãs inofensivas e aproximáveis. Constrói-se essa imagem de "boa menina" e boas meninas são legais e gentis. Mas aqui entre nós, não é todo dia que você tá afim de ser gentil e fofa e legal e....... ENFIM. Não faz nenhum favor pra meninas que precisam de um role model.


Ok, mas onde eu quero chegar salientando tudo isso?
O que eu quero dizer é que mahou shoujo é um gênero de anime criado por pessoas, pessoas que são de outra cultura. Então é normal que ele tenha pontos positivos e pontos negativos. Nem sempre o que você acha empoderador pode ser empoderador pra outras pessoas ou culturas.

Então a gente deve boicotar esses animes? Claro que não. Nem tudo que a gente gosta tem que ser positivo ou empoderador. Numa sociedade ideal isso seria normal, mas nós sabemos muito bem que nossa realidade não é assim. Querer que cada coisinha do nosso convívio seja positivo e empoderador acaba transformando o feminismo num simples selo de aprovação pra que você se sinta bem sobre ser uma pessoa boa que só gosta de coisas corretas e não é isso que devia ser. A ideia é obviamente impulsionar a produção de mídia mais positiva, mas nós somos humanos e é comum que gostemos de coisas que não são assim tão corretas. Não tem problema. :)


Muitos beijos,

Gleice F.

A.K.A うさぎQUEEN. 24 anos, estudante de Gestão Empresarial. Fã de mahou shoujo, rap e jogos indies.

9 comentários:

  1. Adorei a postagem <3 Claro que eu não acho que mahou shoujo seja um gênero feminista, até porque, bem.. acho que animes não tem como ser feministas, claro que chegam perto, mas não tem como hahah' a cultura deles impede isso ;u;
    Um que eu gosto bastante é Panty & Stocking with Garterbelt, não chamaria de anime feminista, mas sem sombra de dúvidas ele chega bem perto do feminismo, e diferente do que muitos animes pregam (o estereótipo de garotinha frágil e puritana), as protagonistas são garotas reais, fortes, que falam palavrão, tem interesse por sexo e arrotam HUEHAUHEA Acho que PSWG é um bom exemplo de anime girl power<3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito difícil mesmo. Dá pra a gente achar muitos detalhes empoderadores em diferentes animes, mas também tem várias coisas problemáticas.
      Eu gosto bastante de Panty and Stocking, pena que elas se xingam muito AHAHAH, mas a arte é maravilhosa, eu assisti quando saiu e revi esse ano. Talvez eu faça um post só pra analisar os prós e contras do anime! <3

      Obrigada por comentar aqui, Shiro! <3

      Excluir
  2. Yup, é isso aí! Acho também que como as pessoas num geral acabaram se acostumando a esse padrão de garota é difícil mudar de repente. Talvez não atingisse tantas pessoas quanto se espera quando começa um novo trabalho. Quando estudei mangá percebi que partiríamos de um padrão, mas que aquilo não necessariamente era o correto. Mas na maioria dos casos opta-se por este padrão porque é o que mais vende... É foda porque parece que tudo gira em torno de dinheiro :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, por que esses padrões são construídos faz muito tempo né. Além disso rola a questão de aceitação do público. Isso não só no anime né, tipo atualmente como tá tendo essas tretas por causa da Thor mulher e do Homem Aranha negro... as pessoas tem dificuldade de se acostumar.
      E tem toda a questão de que atualmente os mahou shoujo tem essa roupagem fofinha, mas o público alvo é masculino. Acaba sendo complicado...

      Fico feliz que você tenha voltado a comentar aqui, Bru! <3

      Excluir
  3. Adorei a postagem!
    Você explicou bem seu ponto de vista e devo dizer que concordo o/

    http://meubaudeestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Que tópico interessante, nunca tinha pensado muito sobre isso. Acho difícil qualquer anime ser feminista, já que a mulher ou depende de um cara, é feita de "inútil" ou só é "útil" quando é sexualizada. E isso é totalmente não-feminista. Porém, você apontou pontos muito interessantes no post, e principalmente o último parágrafo sobre "nem tudo o que a gente gosta deve ser absolutamente correto" foi o que eu mais gostei <3
    Um exemplo de Girl Power com pancadaria, nada de menina delicada, PORÉM com roupas minúsculas e nudez casual: Kill la Kill. Tem seu Girl Power, não é exatamente magia (mas há poderes) e é uma moça. Eu gosto, mas também não é nada feminista.

    Chu~~ >3<
    Dominó ao Contrário

    ResponderExcluir
  5. Aaaai, Usagi *-*! Me deixa tão feliz ver que alguém consegue ver os mesmos pontos que eu e finalmente abordar o assunto~!! Sinceramente só quando eu era mais nova acompanhava animes do gênero. Eu adorava, claro, achava o máximo o fato do foco ser só nas garotas e eles trabalharem as relações afetivas e sentimentos no enredo. O problema foi chegando com a compreensão dos tópicos que você salientou. O fato de ao pesquisar sobre algum mahou shoujo atualmente e encontrar pelo menos 50% das imagens das personagens sexualizadas me desmotiva totalmente a procurar pelo título e eu acabo deixando de lado. Me incomoda demais o fato de a indústria fazer esse tipo de coisa. Eu entendo que eles tenham, sim, produção voltada para o público masculino e que seja "aceitável" esse tipo de objetificação da mulher assim como acontece também com diversos personagens masculinos e que também tem seu público. É aquela coisa errada que você pensa: como exigir algo se acontece entre os nossos também? Acho que esse é o problema maior. O fato de todos estarem já tão envolvidos nessa sexualização geral de ambos sexos que já parece meio hipócrita pedir pelo fim de uma parte disso, e deixar de reconhecer a outra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu acho que você fazer um personagem sensual como parte da característica dele é ok, sabe? Mas não é ok se são crianças. Geralmente as meninas de mahou shoujo tem 14 anos, então isso acaba sendo um problema.

      obrigada por dividir sua opinião <3

      Excluir

O Otome TeaTime agradece sua visita! Não se esqueça de deixar um comentário falando o que achou, nós respondemos os comentários sempre que possível.

Você pode usar as seguintes formatações sem os espaços:
< i > Texto < / i > - Itálico;
< b > Texto < / b > - Bold;
< a href="LINK"> Nome do link < / a > Links.

ありがとう! ♥