Animes e feminismo: analisando os pontos positivos


Olaaar~
Recentemente eu comecei a entrar mais em contato com outras feministas e percebi que algumas conheciam o Otome TeaTime! Pensando nisso, eu resolvi fazer um post sobre isso. Por que quando você conhece o feminismo e gosta de anime, você percebe que há uma falta de animes female e feminist-friendly. Então obviamente encontrar uma obra que não tenha pontos problemáticos enormes é bem difícil.

Na real, eu gosto de anime desde criança. Só que nos últimos anos, eu perdi completamente a vontade de assistir animes com ecchi ou fan service. Simplesmente perdeu a graça, todos eles seguem a mesma fórmula e depois de assistir vários deles, você acaba percebendo que eles são praticamente a mesma coisa, com personagens diferentes.

Um reflexo disso são as minhas reviews. Vocês vêem que eu fico extremamente entediada com o fanservice. Por que eu já vi. E MUITO.

De qualquer forma, eu pesquisei indicações na internet e com amigas sobre animes que tenham traços feministas e que sejam agradáveis de assistir. Essa lista no entanto, não quer dizer em momento nenhum que o anime seja perfeito ou que o autor criou a história apoiando a causa (???). Só quer dizer que ele foge do padrão e que talvez vocês gostem de assistir.

Inicialmente eu me propus a assistir apenas o primeiro episódio de cada anime, analisando nesse episódio apenas os pontos que podem ser considerados positivos. Porém no meio da análise percebi que deveria assisti-los inteiros e por isso, esse post será lançado em partes. Vem ver! 

 image Shoujo Kakumei Utena (1997) 



Também conhecido como Revolutionary Girl Utena, esse é um anime/mangá que conta a história da jovem Utena (que é a cara daquele vilão de Binan Koukou COFCOF), uma menina que quando criança foi salva por um príncipe que entregou a ela um anel e disse que um dia viria buscá-la.

Aí você fica esperando que ela cresça uma perfeita dama e que espere eternamente pelo seu príncipe. NÃO.
Ela acha a figura do príncipe tão incrível que ela decide SE TORNAR UM PRÍNCIPE.
SIM.PLES. ASSIM.


Logo de cara, a gente é bofeteado com essa espécie de quebra de papel de gênero, onde temos a Utena, uma jovem menina, vestindo uniformes escolares masculinos por que pra ela, eles são mais confortáveis.

O plot segue da seguinte forma: a Utena acaba se envolvendo com o grêmio estudantil, eles eram secretamente um clube de duelos, que duelavam pela posse da noiva da rosa, e que embora pareça algo simbólico era o nome dado a essa mulher que portava uma espada especial.

O grande problema nisso é que essa mulher era muito mal tratada pelo seu "mestre", o atual campeão do duelo. Então você pode esperar alguns momentos chocantes e possivelmente trigger warning de agressão. Logo no primeiro episódio, a gente presencia ele dando um tapa nela. Isso deixa a Utena ultrajada e faz com que ela desafie ele. Surpreendentemente, ela vence o duelo e a custódia da noiva da rosa. Elas passam a ficar juntas no mesmo dormitório. A partir daí a história se desenvolve...


 Quebra do papel de gênero

A Utena é uma garota que se comporta e se veste como supostamente um garoto deve se vestir. Muitos animes usam isso para criar um choque inicial e dar uma atitude a personagem em questão, porém a personagem quase sempre mostra um lado feminino ""inesperado"". No caso de Utena, essa característica é parte de quem a Utena é.

 Crítica à misoginia

Assistindo ao anime, você percebe um certo padrão entre os homens. A maioria deles é do tipo playboyzinho que acha que vai conquistar as meninas a força, seduzi-lás ou até mesmo "domá-las". Ao invés de romantizar esse tipo de atitude, a personagem principal os ignora, resiste e e luta contra eles. Dá pra perceber nas entrelinhas o tipo de dano psicológico causado por esse tipo de atitude por parte dos homens. 

 Crítica ao racismo

Esse é um ponto um pouco controverso sobre o anime. Nós temos a noiva da rosa, a Anthy que é uma personagem de pele escura, provavelmente Indiana. Ela é tratada como um objeto (por ser a portadora da espada) e maltratada... e ainda sim é esperado dela que sempre apoie o seu mestre atual, independente de quem seja. Também há a ideia de que a Anthy é salva pela Utena, dando uma interpretação de que o personagem negro precisa de alguém branco pra libertá-lo. Mesmo assim, a Anthy é uma personagem bem interessante e que mostra muitas facetas durante o anime, inclusive que ela é muito corajosa e heroica. 

 Problematizações

Em pontos negativos sobre esse anime, eu citaria que não há representatividade em relação a tipos de corpo. Todo mundo tem o mesmo formato boneco de palito.
Além disso, eu não aconselho esse anime pra quem tenha traumas por que há todo tipo de situação trigger warning nele. 


Nota: Trigger Warning é o nome dado para algo, uma cena por exemplo, que engatilha uma lembrança traumática vivida pela pessoa. 



image Sakura Card Captor (1998) 



Card Captor Sakura é um anime que quase todo mundo assistiu ou teve a chance de ler o mangá. Mas acho importante falar sobre ele aqui no blog, por que tem muitos pontos interessantes que nem todo mundo notou quando teve seu primeiro contato.

A história é sobre a jovem Sakura Kinomoto, que um dia quando estava sozinha em casa, encontrou um livro misterioso. Por acidente, ela libertou as cartas mágicas contidas no livro, as cartas clow. O guardião do livro, Kero, fez com que ela começasse sua busca por toda a cidade atrás das cartas que foram libertadas.


 Quebra do papel de gênero

Os homens nesse anime de uma forma geral não parecem ter problemas em se interessarem por coisas que são inicialmente dadas como femininas. Por exemplo, o pai da Sakura cozinha, cuida da casa e dos filhos. O Touya, irmão da Sakura sabe costurar e isso o faz até popular entre as garotas... Num dado ponto do anime, o Shoran parece obcecado em aprender a costurar algo pra dar de presente pra Sakura. 


Também podemos lembrar que inicialmente Sakura e Shoran são "rivais" e que com o passar do anime, a gente percebe que a Sakura é mais forte que ele e mais efetiva também. E ele não fica com o orgulho ferido com isso, o Shoran continua a apoiar a Sakura e ajudar dentro das limitações dele.
 Representatividade

Eu vou tentar não dar spoilers, mas dois homens no anime são muito próximos. Eles são sempre referenciados como ~almas gêmeas~ no universo CLAMP, já que Sakura tem algumas pontes com outros animes também da CLAMP. Uma mulher se declara pra um desses moços e ele diz que já está apaixonado por outra pessoa. Por um homem.
MAS USAGI COMO EU NUNCA VI ISSO NO ANIME QUE PASSAVA NA GLOBO?????
Miga, você nunca vai ver. Essas referências foram lavadas na dublagem oficial japonês-inglês do anime. Eu ainda não conferi, mas pode ser que nos episódios encontrados na internet a gente possa ter a transcrição correta do que é dito.

Outro ponto interessante, é essa personagem que não revela seu gênero de maneira nenhuma. Essa personagem diz que não é um ser humano, e portanto gênero não importa. Suas roupas porém remetem ao sexo feminino, por que a personagem se sente mais confortável assim.

Embora não hajam personagens negros nesse anime, temos personagens de origem chinesa. Em algumas partes você vê a Meiling tendo problemas com o japonês dela, o Kero chega a zombar dela, porém é reprimido pela Sakura, que diz que isso é normal.

 Problematizações

Um ponto que é problemático na série é porém um professor que demonstra interesse por uma aluna. Considerando que estamos falando de meninas de 10 anos, isso é BEM PROBLEMÁTICO. Tem uma cena apenas no mangá desse professor dando uma aliança pra essa aluna. Na versão em anime porém, a história tem panos quentes e simplesmente mostra a menina apaixonada pelo professor, sem que ele corresponda.




Então é isso! Já estou trabalhando na segunda parte do post, prometo trazer mais dois ou três títulos.
Eu espero trazer mais análises de animes pra vocês daqui pra frente!
Muitos beijos,


Gleice F.

A.K.A うさぎQUEEN. 24 anos, estudante de Gestão Empresarial. Fã de mahou shoujo, rap e jogos indies.

5 comentários:

  1. Yaaaaay! Há tanto tempo eu estava procurando listas de animes com mensagens no mínimo passavelmente feministas <3

    Continuem com esse assunto, pretty please <3 Se eu lembrar de algum relevante, jogo aqui nos comentários também o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por comentar! Esse tipo de comentário que me motiva a continuar escrevendo aqui!
      Enfim, eu já estou produzindo a segunda parte. Provavelmente semana que vem ele estará no ar. (๑◕ ▽◕๑)

      Excluir
  2. Oie!
    Que post legal esse *.*
    adorei saber os problemas e coisas assim de cada anime. Realmente concordo com o fato em Sakura Card Captors.

    http://meubaudeestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sohari! Obrigada! Espero postar mais sobre isso em breve. <3

      Excluir
  3. Estava aqui vasculhando o blog e me deparei com essa materia maravilhosa! Mas triste pois nao achei mais nenhuma do genero...T_T Continuem, por favor! Adorei <3

    ResponderExcluir

O Otome TeaTime agradece sua visita! Não se esqueça de deixar um comentário falando o que achou, nós respondemos os comentários sempre que possível.

Você pode usar as seguintes formatações sem os espaços:
< i > Texto < / i > - Itálico;
< b > Texto < / b > - Bold;
< a href="LINK"> Nome do link < / a > Links.

ありがとう! ♥