Campanha Mais Shoujos no Brasil


Olar. O blog ficou sem posts meus semana passada por que eu estava meio ocupada na faculdade entre apresentação de trabalhos e provas, mas agora tá tudo bem e eu finalmente tenho um dia livre pra escrever. Enfim, eu tive uma conversa bizarra recentemente com um cara no qual ele perguntava se eu gostava de Suehiro Maruo (NÃO. PESQUISEM. NO. GOOGLE. PFVR. PFVRZINHO) e eu vivo tentando explicar pras pessoas que eu tenho um gosto um pouquinho difícil de explicar quando se trata de anime e mangá. Eu gosto de personagens femininas, eu gosto de histórias de amor (que tenham beijo por que senão eu fico agitada e frustrada), eu gosto de mahou shoujo, de comédia, mas eu não sei qual seria a exata definição pra isso.
Meu amigo costumava falar que era mangá de "baitola". fuck him

Mas no geral, as editoras não costumam se focar nesse tipo de título. Isso por que, até um tempo atrás, não acreditavam que haviam mulheres (ou mesmo homens) que se interessavam nesse tipo de mangá. Numa iniciativa pretensiosa, um grupo de pessoas começou a fazer um certo barulho no facebook pedindo as editoras que publicassem mais mangás shoujo no Brasil. Essa campanha chamou bastante a minha atenção e é por isso que o Otome TeaTime chamou os responsáveis pela campanha pra uma breve conversa pra falar um pouco mais a respeito dessa iniciativa.

Quer saber mais? Vem comeego. <3




Primeiramente, o que seria o "shoujo"?


"Shoujo e shonen, bem como seinen, josei e kodomo, são o público-alvo de um mangá. Explicando melhor: kodomo é mangá para crianças, shonen é mangá para garotos, shoujo é mangá para garotas, seinen é mangá para homens, josei é mangá para mulheres. Isso à grosso modo, porque essas faixas etárias são bem amplas e enquanto alguns shonens são feitos mais para o pré-adolescente por exemplo, outros são feitos para o adolescente ou até jovem adulto. É assim com todos os públicos-alvo." (Another Warehouse, 2014)

Simmm. Shoujo, apesar do que muitos acreditam não caracteriza um mangá de romance, mas sim o público-alvo, ou como os profissionais do meio dizem, é a "demografia" de um mangá. Aqui no Brasil, o público mais jovem que consome esse tipo de produto não se importa muito com o tipo de anime ou mangá que consomem. De uma forma geral, não há um grande reconhecimento por nomes de autores ou estúdios também. Os títulos se carregam sozinhos e ganham notoriedade por serem aquilo que são e não por serem de um tipo ou autor específico.

Confesso que eu mesma nunca tinha parado para pesquisar o real significado de tais classificações. E com o inicio da campanha, eu comecei a pensar quantos dos mangás que eu tenho na minha casa são shoujos. Aparentemente, eu fui uma fã secreta de shoujo por todos esses anos e nem sabia! <3

Enfim, no dia 7 de Setembro eu vi no Facebook um post da page do Chuva de Nanquim, não se tratava de um post deles, mas sim algo compartilhado de outra page.






O post me chamou atenção por falar de dois dos mangás que eu tenho muito interesse em ler: Lovely Complex e Tonari no Kaibutsu Kun. E então eu conheci a campanha.
Pela page foi muito fácil entender do quê se tratava.  

Apoiando e aderindo à campanha, o Otome TeaTime resolveu conversar com os seus idealizadores, eles foram super solícitos e responderam a algumas perguntas.



UsagiQUEEN - De onde surgiu a ideia de criar uma campanha desse tipo?

MaisShoujosNoBrasil - Assim, foi uma ideia um tanto quanto aleatória. Inicialmente, fizemos uma campanha para trazer Chihayafuru para o Brasil, que é um mangá josei pelo qual um dos idealizadores da campanha – o Gustavo Torres – é apaixonado. Ele publicou na Panini e eu, sabendo que ele ama esse mangá, tentei ajudar, criando a hashtag #VemChihayafuru. Muitas pessoas acabaram participando e pedindo, nos comentários, outros mangás, com um tema um tanto quanto parecido. Recebemos uma resposta da Panini, de que a sugestão havia sido anotada. Porém, achamos um pouco complicado a vinda dessa obra para cá, foi pensando nisso que resolvemos criar uma campanha mais abrangente, capaz de gerar frutos futuros para o mercado nacional de mangás da demografia shoujo/josei e ao mesmo tempo mostrar que existe um grande público carente dessas demografias no nosso país. Pensamos, então, em primeiro acabar com essa defasagem, para mais tarde, conseguir trazer os mais variados shoujos/joseis.




UsagiQUEEN - Quando vocês a colocaram a campanha em prática de fato?


MaisShoujosNoBrasil - Criamos o grupo Campanha Mais Shoujos no Brasil no Facebook faz aproximadamente uns três meses e só ontem (dia 07/09/14), é que publicamos na página da Panini. Teve todo um processo de pesquisa. Avaliamos, por exemplo, o público alvo: vimos a idade de cada um, de onde eram. Depois, realizamos uma enquete, para ver quais seriam os shoujos mais votados (sendo que foi levado em consideração a questão da aceitação maior pelo público brasileiro, ou seja, não bastava votar no seu favorito, mas sim naquele que a pessoa imaginava ter maiores possibilidades de recepção). Tivemos a ideia de criar banners também e nos espalhar por várias redes sociais, como o Facebook, Twitter, Instagram. Enfim, houve todo um processo, mas foi por esses dias mesmo que iniciamos de fato a campanha. Recebemos um retorno muito positivo e agradecemos por isso.


UsagiQUEEN - Quantas pessoas estão envolvidas nesse projeto?



MaisShoujosNoBrasil - Olha, inicialmente eram duas pessoas: Mayara Trevizani e Gustavo Torres. Com a criação das redes sociais, contamos com o apoio de vários blogs, como o Dimichan Scans, Gekkou Gear, Chuva de Nanquim, Redisu, Mangás Brasil, Kimi ni Todoke Brasil, Toshi Wa Yume Scan, Shoujo Café... esses foram alguns dos blogs iniciais, mas tiveram muitos outros que apareceram depois (com a publicação no Facebook da Panini) e nos ajudaram também. Ademais, há as pessoas que entraram no grupo do Facebook da campanha, mais de 700! Fora os que curtiram a página da campanha e não solicitaram entrada no grupo, assim como outros que apenas curtiram/comentaram/compartilharam a publicação da Panini. Cada membro é mais do que importante para nossa campanha.


UsagiQUEEN - Para todo fã de mangá, sempre existe um que é o favorito, ou aquele que o fez ter mais interesse pelo segmento. No caso de vocês, qual foi o shoujo que mais os marcou?



MaisShoujosNoBrasil ✿ Mayara - No meu caso (Mayara), o shoujo que mais me marcou foi Kimi Ni Todoke. Felizmente, ele já é publicado no Brasil e eu dou pulinhos de felicidade por poder tê-lo na minha estante. Eu me identifico muito com a Sawako e penso que o amor que ela tem com o Kazehaya é fofo demais. Eles descobrindo seus sentimentos recíprocos aos poucos, aprendendo a como se relacionar, no que diz respeito ao amor deles e também à amizade formada pela Chizu, Sawako e Ayane. Penso que esse tipo de amor ainda é possível hoje em dia e é um dos mais lindos para mim, simplesmente por mostrar que todo dia é necessário um cuidado com as pessoas ao seu redor!

Não li muitos shoujos, mais por falta de tempo, pois acabo me encantando por todos que tenho acesso mais tarde. É o caso de um que descobri recentemente e estou apaixonada, denominado Orange. Achei que ele foge bastante do usual, sendo apresentado de uma forma peculiar. Penso que todos deveriam dar uma olhadinha, por mais que ainda esteja em processo de publicação e tradução (por parte de algumas scans). Ele havia parado por um tempo, entretanto, a autora voltou a trabalhar nele, AINDA BEM! AINDA BEM. Vai se tornar um dos meus favoritos e olha que apresenta apenas 13 capítulos publicados! (foi o Gustavo quem me mandou ler essa obra, foi tipo: LEIA AGORA, É MUITO BOM!!!!1!!!!)

MaisShoujosNoBrasil ✿ Gustavo - Bem, no meu caso (Gustavo), foi um josei chamado Chihayafuru. Conheci pela animação e lembro que foi o primeiro animê que acompanhei episódio por episódio junto com o Japão. No início assisti sem compromisso, mais por ter achado a arte bonita, mas fui me apegando aos personagens de uma forma tão intensa que às vezes esquecia se tratar de uma história fictícia sobre um esporte que mesmo dentro do Japão não é muito conhecido (o karuta). Me encantei com o fascínio que a Chihaya tem pelo esporte, pelo brilho nos olhos que ela apresenta cada vez que alguém menciona o karuta e pela determinação e força de vontade que ela demonstra durante a série. Adoro como a autora desenvolve cada um dos personagens e apresenta os dramas de cada um ao mesmo tempo em que os campeonatos estão rolando. Chega a assustar a evolução que a própria Chihaya, o Taichi e o resto da equipe principal tem durante a história – desde o menino mimado que teve que suar e deixar o orgulho de lado para conseguir estar entre os melhores até a menina inicialmente fútil que mais tarde se torna um dos pilares do time. Enfim, é uma história que te conquista mais e mais conforme vai avançando e te faz torcer não só pelos protagonistas, mas por cada um dos personagens, já que todos são incrivelmente humanos e te fazem se enxergar ali. É incrível, incrível MESMO. Adoraria ver essa belezura sendo publicada algum dia no Brasil.

Dos shoujos que me marcaram, posso citar Kimi ni Todoke, pelos mesmos motivos que a Mayara (que, aliás, foi quem me indicou xD), e também Orange (olha só que coincidência, outro mangá da lista da Mayara!), por me fazer abrir os olhos para a demografia e me fazer perceber que shoujos são muito mais que um romancezinho entre colegiais. E olha que tem só 3 volumes até agora!


UsagiQUEEN - Nós vimos o banner de vocês na fanpage da Chuva de Nanquim, como conseguiram visibilidade por parte deles? Alguém tem contato com eles ou o pessoal da ChuNan que encontrou vocês?


MaisShoujosNoBrasil - Digamos que é tudo consequência do Twitter, já que eu (@_purupurupuru) e o @Vowlenhart conhecemos o @_DihDiogo de lá, um dos membros do Chuva de Nanquim e, felizmente, igualmente apaixonado por shoujos. Eu e o Gustavo seguimos outros membros do blog por lá, mas só nos contatamos diretamente com ele em relação à campanha, que foi responsável por nos ajudar tanto no Twitter quanto no Facebook. Foi um apoio forte e uma das bases para ter dado tudo tão certo. Agradecemos pela ajuda! Lembrando que ele fez um post de recomendação de shoujos/joseis: http://chuvadenanquim.com.br/2014/07/03/eu-recomendo-15-mangas-shoujos/


UsagiQUEEN - Recentemente, Otomen, que estava saindo pela editora Panini Comics foi cancelado. O mangá estava na metade e tinha sido finalizado recentemente no Japão após um período de hiato. A editora afirmou que o cancelamento aconteceu por que o mangá não vendia tão bem quanto eles visavam. Qual a opinião de vocês sobre isso?


MaisShoujosNoBrasil ✿ Mayara - Confesso que nunca li Otomen, inclusive, só passei a conhecê-lo depois que criei a campanha e soube do ocorrido. Aliás, é engraçado, nunca cheguei a ver uma postagem sobre Otomen, nadinha. Ninguém falando sobre. Então, talvez, pudesse ter sido um problema na divulgação também. Quero dizer, vi uma menina comentando no grupo que ela queria Otomen no Brasil e aí disseram para ela que já vendia. Sendo bem honesta, não sei qual é o grau de reconhecimento desse mangá, se há muita gente que lê e é apaixonada, mas do que vi, ele parecia ser bom, talvez só não fosse conhecido ou não divulgaram como deveria. A questão é: há público sim.

MaisShoujosNoBrasil ✿ Gustavo - Além do que a Mayara escreveu, vale ressaltar que Otomen vendeu muito mal no Japão e foi cancelado na Espanha (que possui um mercado bem maior que o nosso). Ou seja, não foi lá uma grande surpresa. Mas, de toda forma, é triste saber que um mangá shoujo com fãs tão apaixonados foi descontinuado aqui. Meio que fica a marca por toda a demografia.


UsagiQUEEN - Outra coisa interessante que aconteceu nos últimos anos foram os relançamentos de títulos como Sakura Card Captor, Guerreiras Mágicas de Rayearth e Love Hina. O que vocês acham sobre essa decisão da editora? É importante ou tira espaço de outros títulos?

MaisShoujosNoBrasil - Acredito que relançamentos sejam importantíssimos. Eu estou esperando alguns volumes de Kimi ni Todoke que perdi, por exemplo. E vi muita gente pedindo por Nana, Honey&Clover, o próprio Otomen e vários outros mangás. Fiquei muito feliz com o relançamento de Sakura Card Captor, afinal, eu só o acompanhei pela infância e não tinha muito conhecimento sobre mangás, acabou que fiquei sem os volumes antigos. Então, surgiu o anúncio e fiquei felizona, poderia ter essa obra cheia de nostalgia na minha estante!

Não conheço muito Guerreiras Mágicas de Rayeart e Love Hina, então vou me abster.

Quanto a tirar espaço de outros títulos... eu diria que depende. Por exemplo, não adianta relançar um título pouco desejado pelas pessoas, enquanto há muitos outros para publicarem e fortemente cobiçados pelos leitores.

Creio que relançamentos são ótimas oportunidades para quem não teve a sorte de adquirir as edições na primeira publicação (meu caso com Love Hina, Berserk e Kenshin) ou para quem preza por qualidade, já que os novos volumes costumam vir em formatos especiais. Também vale citar o público mais jovem, que muitas vezes não conhecia os mangás e está tendo o primeiro contato com eles agora. Em tese, acho que são muito bem vindos, desde que não aja um comodismo por parte das editoras em apenas republicar o que é garantia de bom retorno financeiro e deixar o mercado carente de coisas novas.


UsagiQUEEN - Por fim, quais são os títulos que vocês têm maior interesse de ver lançados no Brasil?


MaisShoujosNoBrasil ✿ Mayara - Eu, Mayara, gostaria de ver, mais para frente, Hirunaka no Ryuusei, Sakamichi no Apollon, Aoharaido, Orange e para apoiar o Gustavo Torres, Chihayafuru (aliás, eu vi o anime e é recomendadíssimo. Fala sobre amor, amizade, esporte, confiança e tudo o mais! É INCRÍVEL, leiam/vejam. Além de ter uma arte belíssima e de ter sido uma das obras responsáveis por iniciar isso tudo!).

Acho bom dizer que gostaria de ter mais mangás shoujos/joseis por aqui por considerar mais legal ler a obra física. Eu ODEIO ler pelo computador e nada como poder folhear as lindas imagens daquele seu mangá predileto <3

MaisShoujosNoBrasil ✿ Gustavo - Eu (Gustavo) adoraria ver todos os títulos já citados pela Mayara (especialmente Chihaya <3) e Taiyou no Ie, Kuragehime, Skip Beat, Dengeki Daisy, Vitamin, Hibi Chouchou, Akatsuki no Yona, LoveCom e Tsukikage Baby, além de uma republicação de Nana e Paradise Kiss. Quanto mais, melhor!


Por fim, o pessoal da Mais Shoujos no Brasil escreveu um recadinho pra nós do OTT e para todos que estão apoiando a campanha:

"Gostaria de agradecer pela oportunidade e dizer que me sinto honrado por isso. São essas coisinhas que me fazem seguir adiante com a campanha! :')Assim como o Gustavo, agradeço imensamente pela oportunidade. Fiquei bem surpresa e feliz quando vi a mensagem de vocês sobre a entrevista. Não estávamos esperando por isso e nem que a campanha alcançaria níveis tão legais. Espero podermos contribuir realmente, cada vez mais! Vamos nos esforçar para dar tudo certo.
Obrigada! A vocês e a todos que aderiram à campanha #MaisShoujosNoBrasil"

Muita gente comentou que a campanha é só fogo de palha e que tem sido apenas flood nas pages das editoras. Porém, eu UsagiQUEEN, discordo. Eu acho que quando se trata de mercado e consumidor, esse tipo de manifestação é muito importante. As empresas não tem como saber qual é a tendência do mercado sem uma manifestação dos consumidores. Inclusive é para isso que existe a pesquisa de opinião.
Até então, as empresas não viam as mulheres como participantes ou interessadas em certos tipos de coisa, como HQs, mangás e games. Mas isso tem mudado e só mudou por que alguns grupos começaram a se organizar para chamar atenção das empresas responsáveis por isso.
Então, se alguém quer algo, tem mais é que falar a respeito disso e fazer barulho. Nós só temos a ganhar! O Otome TeaTime apoia completamente essa campanha e incentiva você também, leitora do nosso blog a participar. Nunca ache que sua opinião é só mais uma no meio de muitas, em vários casos, tem muita gente que pensa assim como você, e não fala nada. Se mais pessoas tomarem iniciativa de se abrirem com as empresas e mostrarem suas opiniões, teremos um mercado não só de mangá, mas no geral mais aberto e dentro das nossas expectativas. Eu falo isso como consumidora e estudante de administração.


Por fim, eu e Kurai deixamos nossa contribuição para a campanha, mostrando pra vocês nossas coleções de mangás shoujo! <3




Fun fact: Esse Angel Sanctuary é da Kurai. Tem dois anos que tá comigo e ela não pega de volta. bjs de luz
(@edit 11/09/2014: me avisaram no tumblr que Love Hina não podia estar na minha foto, pois se trata de um shounen. Por força do hábito eu o coloquei ali no meio.)



Leia mais sobre: 




É isso aí, pessoal! Se vocês quiserem apoiar a campanha mande fotos dos seus mangás pra page deles e mande mensagens nas pages das editoras. Seremos ouvidos!
VAI TER #MAISSHOUJOSNOBRASIL SIM!

Muitos beijos,


Gleice F.

A.K.A うさぎQUEEN. 24 anos, estudante de Gestão Empresarial. Fã de mahou shoujo, rap e jogos indies.

3 comentários:

  1. Oie! Estou desde o começo da campanha nos bastidores e fico muito feliz com mais um blog se tornando parceiro da campanha! Fiquei surpresa em saber que a Den-chan quer Sakamichi no Apollon (que é lindo >< meu coração não aguenta hahaha) e que o Gustavo quer Kuragehime (título que me marcou mto e até hj leio os mangás traduzidos), sempre que posso eu posto com a tag de mais shoujos e fico mto feliz em saber que cada vez mais as pessoas estão aderindo a campanha e gostando, quero mto mesmo LoveCom e Kyou Koi Wo Hajimemasu por aqui e tenho esperanças! Mais uma vez obrigada pelo apoio do blog!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sakamichi no Apollon é lindo DEMAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIS! Muito lindo MESMO. Poxa, eu tive umas sensações muito loucas enquanto assistia o anime, foi meio desespero, meio choro, meio alívio. DE TUDO UM POUCO. Eu realmente me apaixonei por Sakamichi, é perfeito! Além de... tipo assim... ter músicas MA-RA-VI-LHO-SA-S! Vi e veria novamente, vou ver se nas férias ainda leio o mangá. É TIPO... TUDO DE BOM T_T
      Vou ver se dou uma olhada nesse Kuragehime e realmente, você estava desde o começo nos bastidores <3333 Obrigada *-*

      Excluir
  2. Super apoio a campanha :)
    Quero até mandar a foto dos meus mangás de Nana ❤ que eu tou dooida para que volte, a Ai Yazawa é uma das melhores
    Tou aqui morrendo de inveja dos mangás da Kurai ;__; a maioria dos meus fica no computador D:

    Atéé ^__^
    BlogShyandBrave

    ResponderExcluir

O Otome TeaTime agradece sua visita! Não se esqueça de deixar um comentário falando o que achou, nós respondemos os comentários sempre que possível.

Você pode usar as seguintes formatações sem os espaços:
< i > Texto < / i > - Itálico;
< b > Texto < / b > - Bold;
< a href="LINK"> Nome do link < / a > Links.

ありがとう! ♥