Crítica: Ser nerd/otome virou "modinha"?!

Olhando as garotas mais novas, eu começo a me lembrar de quando eu conheci anime. Me lembro que o primeiro anime que assisti, foi Cavaleiros do Zodíaco, Sailor Moon e Guerreiras Mágicas de Rayearth. Na época os animes não tinham exatamente a pretensão de ter uma história complexa ou absurdamente foda. Pelo contrário, o que na época poderia ser visto como complexidade no roteiro, na verdade acabou ditando o modus operandi de toda uma geração de animes que veio depois.



 Naquele tempo, eu não fazia ideia do que era um "otaku" ou uma "otome". Nesse caso, vou empregar o termo otome como a garota que gosta de anime, embora muitos acreditem que esse termo não devesse ser empregado dessa forma. De qualquer forma, eu não imaginava que a pessoa que gostava de anime teria uma nomenclatura só pra ela. A geração que acompanhou o anime aqui no Brasil desde o começo da Henshin, UltraJovem, AnimeDô e afins, deve ter hoje mais de 19 anos, de certa forma, os animes ainda não tinham muita atenção dos jovens e se você lesse um mangá perto de outros adolescentes, muito provavelmente ia ser taxado como esquisito. Eu mesma cresci nesse ambiente, eu não me lembro de ter estudado com menos do que 5 pessoas que gostavam de anime, e a maioria, não tanto quanto eu.
Hoje porém, eu vejo que a cultura do anime está melhor difundida e os jovens tem mais acesso e tem procurado mais pelo anime. O problema em uma cultura ou gosto difundido, porém, são os posers e os haters. Não pretendo falar do segundo. Mas acho curioso essa quase caça-as-bruxas que é feita entre os fãs do tipo "se você não souber a marca de pasta de dente do autor desse mangá, você é poser". De fato, por conta da cultura geek, nerd e otaku estar extremamente difundida, as pessoas se sentem ameaçadas e incomodadas umas com as outras. Vejo meu facebook sendo inundado por posts de páginas do tipo nerd ou otaku. Posts sem conteúdo real, apenas imagens, transformando nosso feed de notícias em uma dashboard de tumblr.

Uma coisa que cresceu de forma assustadora são as garotas que gostam de anime e temas nerds. As meninas tem tido mais coragem de assumir que gostam desses temas. É frequente dizer que uma garota nerd ou otome é algo raro, como no famoso motivacional "valorize-as".
Quando eu era adolescente e desejável para os garotos (naum pera nunca fui q), as otomes não eram vistas dessa forma. Aliás, pelo contrário, eram vistas como garotas estranhas com gostos de garotos. Como a lógica se inverteu, é comum ver essas garotas gritando aos quatro ventos que vão chorar assistindo O Hobbit, sem nunca nem ter pego num livro do Tolkien na vida. De repente, jogar video-game virou o novo "pretinho básico", ser nerd é o novo sex appeal... E sabe, não é algo ruim. O que é ruim são essas pessoas que utilizam seus supostos gostos por algo como forma de chamar atenção (principalmente as menininhas e as mulherzinhas inseguras), aquelas pessoas que compartilham milhões de fotos, simplesmente pra mostrar que "ama de verdade" determinada coisa.
Isso tira a pureza de gostar de algo, por que quando você é fã, você gosta de algo independente do que os outros pensam de você, você não gosta de algo só por que a maioria gosta, não gosta por que todo mundo vai te achar muito legal, gosta por que aquilo é bom na sua opinião. É claro que esse assunto vai muito mais além, e é extremamente relativo, já que se trata de gosto.


Mesmo assim, por conta dessa bagunça generalizada sobre quem é fã, quem só gosta e quem só quer atenção masculina, muito se perde e ocorre uma espécie de inquisição poser.
Por exemplo, eu gostei do filme dos Avengers, mas nunca li a HQ; POSER! Fui num evento de anime e só assisti Naruto e Death Note; POSER! Chamei o Luigi de "Mario verde"; POSER! Comecei a gostar de uma série/anime bem depois do lançamento; POSER! Disse que gostava de Harry Potter, mas não sei a marca da pasta de dente da J.K; POSER! Gostei mais da adaptação pra filme do o original; POSER! Eu falo o nome americano do personagem ao invés do japonês; POSER!
É tão difícil definir quem é fã de verdade hoje em dia... que rola essa caça as bruxas absurda, enfiando perguntas goela a baixo dos outros, verificando cada vírgula escrita, caçando por um erro só pela graça de dizer "HÁ! SOU MAIS FÃ QUE VOCÊ!".
Eu me lembro de um caso esse ano mesmo em que uma imagem de De Volta Para o Futuro circulou na web dizendo que aquele seria o dia em que Marty McFly teria ido pro futuro. Os "fãs" começaram a compartilhar loucamente a imagem, maravilhados e se esqueceram que na verdade ele veio em 2015. Um tapa na cara dos "posers" (?) e dos fãs de "verdade".




LM - Já sofreu algum tipo de preconceito por gostar de algo esteriotipado como masculino?
Claro. Muita gente não entendia que games também é coisa de menina sim. Sinceramente, é um tanto chato, mas nada incrivelmente mala. Acho que esse tipo de preconceito acabou me ajudando, porque eu queria ser melhor do que qualquer menino – sim, uma coisa quase obstinada mesmo. Hoje em dia eu ainda recebo une recados do tipo: “Aff, você viu aquela matéria? Meninas não entendem menos de games.” Mas, a verdade, é que elas são consideravelmente poucas; acho que isso não importa tanto nos dias de hoje. (2009, Flavia Gasi, Jornalista e Gamer)


Sabe, isso tem que parar. Os dois lados. Vamos gostar das coisas por gostar. Vamos parar de chamar as colegas que tiram fotos com o controle de xbox entre os peitos (mesmo que pareçam) de "putas". Vamos parar de achar que uma gamer de verdade tem que ser suja, despenteada e fedida. Muitas vezes, isso me cheira a recalque. De repente eu me sinto em 1950, por que vocês tem uma cabeça muito fechada e machista quando se trata dos seus gostos. E isso é sério, enquanto houver babões que ficam pagando pau pra essas menininhas que tiram foto de calcinha e neko mimi na cabeça, se dizendo cosplayer, isso vai continuar. Por que ninguém faz isso simplesmente pra alimentar auto satisfação, é pelo confete jogado também.
E mesmo que esse tipo de atitude não seja legal. Nós otome, nerds, cosplayers, somos de todas as formas, tamanhos e caráters. Não cabe a um estranho fazer o nosso julgamento.


Gleice F.

A.K.A うさぎQUEEN. 24 anos, estudante de Gestão Empresarial. Fã de mahou shoujo, rap e jogos indies.

6 comentários:

  1. Crítica muito bem construída... de vdd...
    Tenho sentido esse lance de chamar todos de poser aumentar exponencialmente a cada dia que passa...
    Por exemplo, você não é fã de HP se não sabe o nome de todos os figurantes. Mesmo tendo começado a gostar antes de fazer sucesso.
    E não sei pra quê realmente essa necessidade de TER de mostrar a cada segundo o que você gosta. Se você gosta de algo já deve bastar saber disso. A menos que a nova moda seja ser completamente obsessivo.
    Gostar por gostar não é mais moda. Poxa vida, eu gostava de anime desde pqna e nem sabia o que era anime, mangá e o caramba à quatro.

    Enquanto poucas pessoas pensam como na crítica, vamos ter um monte de "fãs" floodando nossa timeline com obsessões.

    Abs! :D

    ResponderExcluir
  2. Puxa, obrigada!
    Eu venho pensando nesse assunto faz muito tempo, mas acho que tem tanta coisa pra falar sobre, que nunca consegui organizar as ideias na minha cabeça pra escrever, sabe?

    Eu ficaria feliz se as pessoas parassem um pouco de fazer pose e simplesmente fossem. O que quer que elas queiram ser, nerds, otakus, qualquer coisa. Mas não pra fazer graça pra alguém, por gostar. É só.
    E infelizmente, Camila, acho que a moda agora é sim ser obsessivo porque né. ://

    Muito obrigada pelo seu comentário!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto! Concordo plenamente e acho que o que você falou pode ser encaixado em qualquer coisa. Não só o estilo nerd/otaku... Como vc respondeu pra Camila, parece q a moda agora é mesmo ser obsessivo. o pessoal não gosta mais por gostar e muito menos gosta pra si mesmo, né?! parece q gostam pros outros... e tem que ficar mostrando pra todo mundo. Tem que aparecer, chamar a atenção.

    ResponderExcluir
  4. Ameeei !!! é serio falo tudo, gostei, disse tudo que eu penso sobre esse monte de poser que acha que ser otaku ou otome é só ver um episodio de naruto e andar por aí com uma mangá

    ResponderExcluir
  5. Você falou tudo o que eu pensava a algum tempo já, eu achava que era só comigo essa treta. :P

    Acho que todo mundo tem a sua fase, de anime, gamer ( sempre joguei videogame desde moleque, então sou gamer ? não, sempre odiei de ser chamado assim porque na época isso não existia, quem ficava em casa jogando era aquele cara que não tinha vida social, não pegava mulher, hoje não, hoje o cara se rotula gamer, e sente o prazer de mostrar isso aos outros

    Eu também curtia muito anime na época, mas nunca me rotulei otaku e essas coisas, acho idiota essas pessoas que tem rotulo pra tudo, mutas vezes ela nem gosta daquilo, mas para impressionar os outros, ela se rotula otaku, gamer e etc...

    Conheço gente que comprou um Xbox só pra tirar foto com o controle no Instagram, mas quando você ver ele não consegue passar nem 10 minutos jogando....

    O problema hoje das pessoas é que estão mais egoístas, e cada vez mais vem aquele desejo de mostrar que tem as coisas, de mostrar que é isso e aquilo... Pena que quando tu vai conhecer aquele sujeito(a) pessoalmente, ver que ele não passa de um zé mané, e não é nada aquilo que diz ser ou mostra nas redes sociais.

    Parabéns pelo texto, me segue no Twitter que depois a gente bate um papo por lá @antoni0carlos

    Abraço !

    ResponderExcluir
  6. Infelismente gostar de animes ou como eles dizem "otome" virou modinha no brasil..
    gostei muito do texto :)

    ResponderExcluir

O Otome TeaTime agradece sua visita! Não se esqueça de deixar um comentário falando o que achou, nós respondemos os comentários sempre que possível.

Você pode usar as seguintes formatações sem os espaços:
< i > Texto < / i > - Itálico;
< b > Texto < / b > - Bold;
< a href="LINK"> Nome do link < / a > Links.

ありがとう! ♥